Prefeitura de Itajaí

SEMASA | Serviço Municipal de Água, Saneamento Básico e Infraestrutura

115 SAC 0800 645 0195 (47) 3344 9000 WhatsApp (47) 99261 3492

Novidades

SEMASA DIVULGA MEDIDAS PARA OBRAS DA BARRAGEM

Segunda, 21 de maio de 2007, 19h10

Depois da enxurrada da última sexta-feira (18/05) que causou estragos nas margens do rio Itajaí-Mirim e alguns alagamentos, o Semasa divulga nesta segunda-feira as providências tomadas para garantir a continuidade das obras.

Nesta segunda-feira (21/05) sete das oito comportas da barragem estavam levantadas. Apenas a última comporta do lado direito ficou fechada para evitar a vazão e facilitar o conserto da margem que desbarrancou com a força da água. “Assim que o tempo permitir vamos começar também a recuperação das margens desbarrancadas”, afirma o diretor geral do Semasa, Marcelo Sodré.

Outras decisões foram tomadas em virtude da primeira experiência de enxurrada desde o início da construção da barragem, em agosto de 2006. “Vamos garantir o cravamento de estacas-pranchas nas laterais do rio com maior profundidade. além de apressar a entrega e instalação do pórtico rolante que garantirá a abertura automática das comportas”, explica Sodré.

O incidente com cerca de 700 toneladas de entulho que obstruíram o fluxo do rio durante a sexta-feira e o sábado também tem solução prevista. Durante a obra o trabalho será manual para a retirada de troncos, galhos, folhas, garrafas, pneus e outros lixos. “Porém, até a inauguração da barragem, será instalado um guincho para a retirada desses entulhos”, destaca o diretor geral do Semasa. Além disso está previsto um plano de monitoramento do Itajaí-Mirim próximo a Brusque. Com o sistema será possível prever com até 5 horas de antecedência anormalidades na vazão e com isso, abrir as comportas com maior segurança para garantir o fluxo da água.

Outra medida adotada ainda no sábado (19/05) foi à identificação de possíveis alagamentos em lavouras da região da barragem. O Semasa solicitou ao diretor da Epagri. Jorge Luiz Malburg que visitasse as propriedades, identificando áreas alagadas pela enxurradas, as culturas dessas áreas e os possíveis prejuízos. “Conforme compromisso do prefeito Volnei Morastoni assumido em audiência pública, caso seja confirmado pelos técnicos o prejuízo, vamos indenizar os agricultores, mediante apresentação de relatório técnico da Epagri e a entrega da colheita relativa à indenização”, conclui Sodré.

Segundo o diretor da Epagri, Jorge Luiz Malburg, o primeiro contato com a comunidade foi feito ainda no sábado com o presidente da associação de agricultores do São Roque, Valdinho Reichert e com o agricultor Ronaldo Henrique dos Santos, o Piava. “Pedimos o apoio da associação para fazermos o levantamento solicitado pelo Semasa e no domingo fomos informados pelo Sr. Valdinho que os agricultores não estariam interessados em indenização”, relata Malburg.

Ainda assim, a Epagri deve fazer o levantamento das áreas atingidas e possíveis prejuízos. O diretor do Semasa, Marcelo Sodré determinou ainda que todo agricultor que sentir-se lesado pelos efeitos da enxurrada em função da barragem pode procurar o Semasa. A autarquia irá encaminhar a solicitação para a Epagri realizar vistoria técnica e, mediante relatório e entrega da colheita, proceder indenizações. “Alertamos os agricultores que não mexam nas lavouras antes da vistoria da Epagri para que a avaliação de possíveis danos seja feita de forma correta”, informa Sodré.

Relembrando...

O problema começou na tarde de sexta-feira (18/05). Segundo profissionais da Cidasc esta foi a maior enxurrada na região deste setembro de 2005. “A vazão normal do rio Itajaí-Mirim é de 30 litros de água por segundo. Durante quinta-feira e sexta-feira, a vazão passou de 130 l/s”, relata o engenheiro agrônomo da Cidasc, Hamilton de Oliveira. Os sites de meteorologia também garantem que a precipitação foi bem acima da média.

O resultado foi a força do rio que ao encontrar a resistência das comportas fechadas acabou causando o desbarrancamento das margens do rio Itajaí-Mirim. A força da água também dificultou a operação de abertura das comportas que ainda operam provisoriamente durante a execução das obras da barragem. Outra dificuldade foi a decisão de manter as duas comportas centrais fechadas. Estas comportas ficam bem em frente à balsa que sustenta o guincho responsável pela abertura das comportas, enquanto a estrutura definitiva não é instalada. A abertura delas colocariam em risco a estabilidade desta balsa comprometendo ainda mais as obras da barragem.

Nesta segunda-feira, com o fluxo menor do rio foi possível abrir praticamente todas as comportas e liberar a vazão completo do rio Itajaí-Mirim. Porem, com a continuidade das chuvas que estão na região há mais de uma semana, a inauguração da barragem prevista para junho deve ser adiada, ainda sem data definida.


115 SAC 0800 645 0195 (47) 3344 9000 WhatsApp (47) 99261 3492

escreva@semasaitajai.com.br

Serviço Municipal de Água, Saneamento Básico e Infraestrutura

Rua Heitor Liberato, 1189, São Judas, Itajaí, SC, CEP 88303-101